Contratempo

 

Nada é perfeito, nem o que foi, é ou será

Por que será?

Teria sido o tempo, um contratempo?

Ou as eras desunidas fartaram-se da paciência...

Ou os homens exigiram demais...

Ou a Terra ainda gesta a perfeição...

 

Então, já que o pensamento sempre existiu

Por que ninguém ouviu

Que a vida ainda chega e já vai de partida?

É tão rápido nascer como um qualquer...

É tão nefasta e demorada a guerra...

É tão fácil saber que Deus existe...

 

Triste é tudo o que está fora dos rumos

Por que a felicidade é feita de resumos,

Se o bem volta e o oposto revolta?

Não há espaço para pouco raciocínio...

Não é correto guardar às portas secretas...

Não oculta-se a caridade.

 

Verdade é quando questiona-se às paixões

Seriam elas alucinações?

Uma inútil perfeição dentro de uma afirmação

Quando n’alma escrevem-se poemas

Quando basta um olhar para sorrir

Quando tudo o que vive está existindo...